My Dear friends

This site not work anymore .I have a new site and you can go there visit me. I dont go put more post here anymore ... If you like this blog go there .. I will be there for you ... Olá meus queridos amigos ... agora tenho um novo blog Este site nao funcionará mais , tive alguns problemas. Agora tenho um novo endereco de blog. Nao irei mais colocar post neste blog .. Todas as atualizacoes e novidades estarao no outro endereco .. Acessem... estarei lá pra vcssss Se vcs gostaram desse blog irao amar o outro .. mais atualizado e lindo ... Vamos láaaa .... visitem-me lá .. Beijinhos Lili

Tank for everything !!!

melldesofia.blogspot.com

sábado, 20 de fevereiro de 2010

"Entramos, esperamos e... Cachorro" By Samantha

fonte: http://theunforgivensouls.blogspot.com/

"Entramos, esperamos e... Cachorro!" By Samantha
Partimos de onde tinha sido a nossa casa durante muito tempo. Eu e Carmen tivemos de entrar dentro de um helicóptero por baixo de mantos negros para não sermos estorricadas pelo sol, o nosso grande inimigo.

A viagem foi calma. Carmen remexeu-se com como se tivesse tido um choque.
- Estás bem? – Perguntei ao vê-la.
- Estou bem… – Respondeu-me simplesmente.
Sheftu parecia tudo menos feliz em ir para outro sítio. Continuava arreliada com toda aquela envolvência entre o seu querido, apesar de não admitir, e Carmen. Realmente até a mim me espantou!

Fechei os olhos por um instante, inspirei fundo e sorri por dentro. Só pensava no meu Louis e quando o voltaria a ver. Sheftu queixava-se e refilava, mas ao menos estava ao pé da pessoa que amava… Por mais intempestivo que a relação deles fosse.

O sol abandonara o céu, e uma noite negra e límpida enchia-me de nostalgia. Uma brisa que se entranhava em mim. Era suave, dava vontade de deitar e apreciar toda a beleza daquela deslumbrante noite.

Eric abrira a porta da limusina, deixando Sheftu, eu e depois Carmen entrar. Fiquei ao lado de Carmen e esta a frente de Sheftu. Era impressionante a tensão que havia entre elas! Dei uma pequena cotovelada a Carmen e mandei um sorriso, mostrando como estava satisfeita em ver a loira pomposa cair do seu poleiro. Como é que ele aguentava…
Ele, sempre muito cavalheiresco, esticou a mão para nos ajudar. Sheftu, como era óbvio, recusara, ao contrário de mim, que via o seu gesto com respeito, e até mesmo alguma afectação. Falara com ele poucas vezes, mas já lhe tinha bastante empatia.

Avancei rapidamente para a mansão. Estava curiosíssima com o que ele tinha arranjado para nós, mas pela maneira de ele ser calculei que seria algo imponente… E não me enganei mal meti o pé dentro daquele magnifica casa! Voltei para trás…

- Carmen! – Chamei-a entusiasmadíssima. – Vem ver! Esta casa é gigante!

Esta virou-se para mim, caminhou na minha direcção, agarrou na minha mão e entramos. Um jardim interior que só mesmo daqueles que se vê nas fotos. Sheftu já estava na parte de cima, na clarabóia, e mais um olhar hostil entre as duas surgiu, e novamente um ambiente de cortar à faca.

Puxei-a novamente para o que seria o hall de entrada com uma enormíssima escadaria. Uma ideia excelente percorreu a minha mente.
- Sabes o que seria mórbido!? – Exclamei travessa – Dar uma mega festa para os habitantes, prendê-los aqui e mata-los.

Ela ergueu uma sobrancelha, e Eric que acabava de se aproximar de nós exclamou…
- Concordo com a Carmen... É uma ideia maluca.
- Mas, ela não disse nada! – Disse boquiaberta, mas rapidamente me passou. - Quero ver o meu quarto!

Subi alegremente e fui à procura de onde seria o meu quarto. Não foi difícil de o encontrar pois era roxo tal e qual como eu gostava. Era bastante parecido com o meu espaço na penthouse. Só que bastante maior, luxuoso e exuberante. Aquele Eric era demais. Não lhe escapava nada, em cima de uma mesa estava um bilhete e uma caixa de cartão. Abri o bilhete e lá dentro dizia simplesmente:

Achei que te faria falta… Eric

Abri a caixa e um lago sorriso apoderou-se do meu rosto. K, tinha de novo o meu escorpião. Mais tarde teria de lhe agradecer. Tirei o fio, que umas horas antes me tinha intrigado, e coloquei-o em cima da mesma mesa. De repente, a frase que estava na parte de trás, atravessou novamente a minha cabeça… Uma liberdade que elimina a vida não é liberdade. Coisa mais estranha… Teria de falar com o Louis sobre isto.

Continuei a percorrer o imenso quarto, e fui ao quarto de banho. – Uau… Espectacular... – Exclamei. Nesse momento ouço Sheftu chamar-me.

- Samantha, tens de vir comigo.
- Mas o que...
- Não há tempo para perguntas nem respostas, anda...

Interrompeu-me e desatou a correr pelas escadas a baixo e eu segui os seus passos correndo também atrás dela sem entender o que se passava.
Foi rápido até entender o que se passava. Eric estava todo esfarrapado e completamente enraivecido e à sua frente estava, sem duvida alguma, um belíssimo lobisomem!

- PAREM - Ordenou Sheftu.
- Sim minha senhora... – Respondeu-lhe Eric ofegando.
- QUEM SOIS? – Exigiu a criatura
- Um cão aqui? Desaparece antes que algo te faça em pequenas migalhas de pó seu rafeiro... – Disse-lhe Sheftu com despeito.
- Não... Ele parece não ter onde viver e parece um tanto desamparado, Sheftu – Camen pareceu-me sensata nas suas palavras.
- Não estás a pensar ajudá-lo aqui ou estás Carmen? – Sheftu estava fora de si.
- Se é isso também não estou de acordo! – Apoiou Eric.
- Sheftu, Eric... deixem-se disso... Ele até parece ser interessante! – Disse prontamente. Apesar de todas as lutas e guerras que havia entre lobisomens e vampiros ele parecia-me bem diferente da maioria, e a tia do Ethan ajudou-me bastante a compreende-los… São fascinantes!
- Calma lá, calma lá! Lobisomem! Como te chamas? – Perguntou-lhe Carmen curiosa.
- Vladimor minha senhora. Vladimor Iorganov! – Respondia enquanto começava a voltar à forma humana.
- Vladimor, gostarias de viver connosco? – Propôs Carmen com um sorriso.
- COMO? – Vociferaram Eric e Sheftu.
- Adoraria minha encantadora senhora, contudo não pretendo incomodar ninguém nesta casa... Sou uma criatura do bosque, selvagem muitos me chamam! E...
- Podes ficar na arrecadação da garagem! Aí não incomodas ninguém... – Interrompeu Carmen, olhando divertida para a casa de espanto de Sheftu.
- Tendes a certeza de tal?
- SIM! – Eu e Carmen exclamámos. - A propósito...chamo-me Samantha.
- Muito prazer encantadoras senhoras! Sendo assim, poderei habitar a arrecadação da garagem...
- Sim, pois cães não entram em casa alguma, ficas já avisado!
- Como já disse, não pretendo incomodar ninguém, mas se insistem em que more convosco, não vejo porque recusar... Afinal de contas parece-me serem aqui todos seres que a morte não colhe com facilidade!

Oh, ele era excelente… Tinha a certeza que ele ainda iria dar que falar e para minha satisfação… Algumas dores de cabeça a Sheftu! A Eric também, o que me parecia injusto, afinal de contas ele sempre fora um cavalheiro comigo. Mas talvez lhe passasse quando o conhecesse melhor…
Publicada por The Unforgiven Souls em 00:01 0 comentários
Personagem: Inverness Season, Samantha Saint

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Minha lista de blogs